As amígdalas são duas estruturas redondas que ficam no fundo da boca. Elas são visíveis quando olhamos no espelho com a boca aberta e com a língua para fora ou com a boca aberta e a língua comprimida por uma colher. As amígdalas são feitas de tecido linfoide, responsável por ajudar o organismo a produzir anticorpos.
Em algumas crianças o aumento exagerado das amígdalas (hipertrofia) não causam problemas de saúde e em outras, apesar do tamanho próximo ao normal inflamam com frequência.

Amigdalites de Repetição

São infecções bacterianas recorrentes das amígdalas, que causam dor ao engolir e febre. Considera-se 5 ou mais amigdalites em um ano, ou ainda 3 ou mais por ano, por vários anos seguidos, uma quantidade exagerada. No entanto, mais que considerar quantas amigdalites a criança tem por ano, é preciso observar o uso recorrente de antibióticos, os efeitos que causam, e ainda o ganho de peso em meio a tantas infecções.

Como se tratam as Amigdalites de Repetição

Poucos tratamentos medicamentosos conseguem impedir as amigdalites de repetição. Um dos remédios mais eficazes é o tempo: a criança tende a diminuir o número de crises à medida que cresce. Se as amigdalites estiverem causando prejuízo ao desenvolvimento da criança e interferindo de maneira negativa e significativa em sua qualidade de vida, deve-se pensar em remover as amígdalas (cirurgia).

Ainda se opera as amígdalas hoje em dia?

Sim, muitas vezes há indicação. Nos EUA esta cirurgia é uma das cinco mais realizadas. Quando realmente existe uma indicação, esta cirurgia dá uma guinada para melhor na vida da criança. As mães, após alguns meses de cirurgia, chegam a dizer que é outra criança.

Se as amigdalas são um órgão de defesa não é perigoso remove-las?

A cirurgia não deve ser a primeira escolha de tratamento, e só se deve optar por este caminho quando o tratamento clínico (medicamentoso), não der mais resultado.

Vários trabalhos comprovam que o tecido linfoide das amígdalas que inflamam com muita frequência, já não está trabalhando em favor do sistema imune da criança. Ou seja, a retirada das amígdalas deixa de sobrecarregar o sistema imune com as infecções de repetição e ele passa a funcionar melhor.

Resumindo: amígdalas saudáveis fazem falta e não devem ser removidas. Amígdalas doentes prejudicam bem mais que colaboram, e se necessário podem ser removidas.