O que é?

A cera ou cerume do ouvido é produzido por glândulas especiais existentes no terço mais externo do canal auditivo.
Produzida e expelida em condições normais, a cera constitui um elemento de proteção do ouvido. Recobrindo a fina e frágil pele do canal, a cera atua como repelente da água que pode, muitas vezes, conter microrganismos e/ou detritos nocivos. Outra função de proteção é através da retenção de poeira e partículas de areia, impedindo que esses elementos provoquem danos ao tímpano (membrana timpânica).
Pouca produção ou ausência de cera resulta, em geral, em uma pele seca com aparecimento de coceira e descamação.

Devemos limpar os ouvidos?

A cera não é formada na parte profunda do canal do ouvido, próxima ao tímpano, mas somente na parte mais externa.

Quando um paciente está com cera em cima da membrana timpânica, quase sempre é porque ela foi empurrada com cotonetes, grampos ou palitos, para o fundo do canal, na tentativa de “limpar” o ouvido. Além do mais, a pele do canal e do tímpano é muito fina e frágil e, portanto, fácil de ser lesada.

Normalmente, existe um pequeno acúmulo de cera no canal do ouvido que seca e se desprende com o pó e areia nela retidos. Portanto, o ouvido, na maioria das vezes, passa por um processo de autolimpeza. Pode haver também migração (deslocamento) e acúmulo para a parte mais externa do canal; neste caso deve ser feita a remoção da cera, mas somente na entrada do canal.

Em certas circunstâncias pode haver um acúmulo anormal de cera, formando um verdadeiro tampão, ocasionando surdez. Isto ocorre especialmente em condutos auditivos mais estreitos e tortuosos ou nas alterações da pele de revestimento.

Quando a cera acumula em excesso ela deve ser removida por um médico, através de lavagens, aspirações ou com instrumentos especiais. Às vezes torna-se necessário usar, previamente, gotas especiais, para amolecer, soltar a cera antes das manobras de remoção.

Remoções com lavagens não devem ser feitas se houver perfuração no tímpano; a entrada de água de lavagem através de uma perfuração timpânica irá provocar uma infecção, a otite média. O médico irá se certificar das condições da cera, do canal e da membrana timpânica antes de decidir pelo método de remoção.

Sintomas do excesso de cera:

  • Perda da audição parcial, que pode ser progressiva
  • Zumbido
  • Dor de ouvido
  • Sensação de ouvido cheio

Outras possíveis causas de perda auditiva:

  • Perfuração da membrana timpânica
  • Otite média
  • Otite externa
  • Neuroma de acústico