Vários fatores contribuem para a perda auditiva, desde os mais comuns até os mais graves:

  • Exposição a barulho intenso ou ruído constante
  • Hereditariedade
  • Processo natural de envelhecimento
  • Lesão traumática
  • Medicamentos ototóxicos ou alguns tipos de doenças
Além disso, pode também ser consequência de problemas na gestação, tais como doenças infectocontagiosas: (sífilis, citomegalovírus, rubéola gestacional, entre outros).

Recentemente, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou novos dados do Censo 2010 com informações sobre a situação da perda auditiva nos brasileiros. A pesquisa avaliou pessoas com problemas permanentes e constatou que mais de nove milhões de cidadãos declararam ter algum tipo de deficiência auditiva. Deste total, 347 mil pessoas afirmaram não conseguir ouvir de modo algum, quase 1,8 milhão disseram ter grande dificuldade e 7,5 milhões relataram alguma limitação.

Tipos de Perdas Auditivas

Perda Auditiva Condutiva

Ocorre quando há alteração na condução aérea do estímulo sonoro pela orelha externa e/ou média. As causas mais comuns são as infecções (otites).

Perda Auditiva Neurossensorial

O local da alteração é a cóclea e/ou nervo auditivo. Na cóclea encontramos uma quantidade enorme de células ciliadas, quando ocorre a perda neurossensorial há perda de células, esta perda afeta a percepção de diversos sons. A percepção do estimulo sonoro fica comprometida e quanto maior a perda auditiva pior é a percepção e compreensão da fala.

Perda Auditiva Mista

A alteração está localizada na orelha externa e/ou orelha média e orelha interna.

Níveis de Perda Auditiva:

  • Perda Auditiva Leve: a dificuldade aparece em algumas situações onde há mais ruído. Em geral, o volume da televisão é um pouco mais elevado e para falar no telefone não há problema.
  • Perda Auditiva Moderada: a dificuldade aparece em mais situações. Em geral, o volume da televisão é mais elevado, a pessoa não consegue entender o que é falado ao telefone e em conversas, mesmo em locais silenciosos.
  • Perda Auditiva Severa: a dificuldade é evidente. Em geral, o volume da televisão é muito elevado e ainda assim não se entende o que é falado. Não é possível falar ao telefone e conversar sem que a outra pessoa grite.
  • Perda Auditiva Profunda: a dificuldade é evidente. Em geral, não é possível escutar a televisão, falar ao telefone e conversar sem apoio visual.

Sintomas

Muitas vezes as pessoas que estão ao redor do paciente percebem sua deficiência antes dele próprio.
O primeiro passo ao suspeitar de perda auditiva é consultar o medico otorrinolaringologista, onde serão solicitados os testes necessários para a avaliação da audição.

O resultado dos testes determinará o tipo de perda e a sua severidade, além de determinar a conduta do médico para a indicação ou não da prótese auditiva.